quarta-feira

A Menina do Narizinho Arrebitado


Em 1920, durante uma partida de xadrez com Toledo Malta, este contou a lobato a história de um peixinho que, saído do mar, desaprendeu a nadar e morreu afogado.

Lobato conta que perdeu a partida porque o peixinho não parava de nadar em suas idéias, tanto que logo sentou-se à maquina e escreveu a "História do peixinho que morreu afogado".

Até hoje os pesquisadores buscam esse conto, já que Lobato não se lembrava de onde o publicou. O fato é que isso foi um embrião para que finalmente o escritor decidisse concretizar um velho plano: escrever para crianças. Há anos tinha escrito ao amigo Rangel dizendo que não encontrava bons livros para os filhos; o que então existia eram as edições portuguesas de fábulas e contos de fadas, mas numa linguagem que espantanva os pequenos ao invés de criar o encanto pela leitura.

No Natal de 1920 surge "A Menina do Narizinho Arrebitado",  um livro grande, classificado como "fantasia", fartamente ilustrado por Voltolino.

Em janeiro  e fevereiro de 1921, Lobato publica trechos do livro na Revista do Brasil.

Imagens: edição fac-similar de A menina do Narizinho Arrebitado, de 1982.

Edição nº 61 da Revista do Brasil, janeiro de 1921.

6 comentários:

  1. eu pedi a história e não o resumo do livro

    ResponderExcluir
  2. comecei estudar monteiro lobato a pouco tempo
    e já estou adorando conhece-lo um pouco mais
    parabéns pelo site.

    ResponderExcluir
  3. gosto muito do monteiro lobato eu conheci ele

    ResponderExcluir