sábado

As caçadas de Pedrinho - 1933




Um dos mais raros livros de Lobato, onde aparece como personagem a menina Cléo, filha de Octalles Marcondes Ferreira, mineiro que começou como contínuo na Revista do Brasil e logo se tornou sócio de Lobato.

A gênese dessa obra foi "A caçada da onça", escrita em 1924, e que serviu de primeira parte de "As caçadas de Pedrinho". Nesse livro surge o rinoceronte que faria parte do bandinho.

É uma ds obras em que Lobato mais ridiculariza a burocracia, a corrupção e a inépcia do governo. Mais de uma vez diz que Dona Benta era oposicionista, fato que desaparece nas edições posteriores.

Na primeira edição desse livro, uma curiosa nota recheada de ironia, fala sobre a criação de mais um selo (na época uma das formas de arrecadação fiscal).

As ilustrações são uma atração à parte, no traço elegante de Villin.

Nenhum comentário:

Postar um comentário